quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

E deixe estar, o teu abraço no meu, sorrir e ficar...

Momentos Românticos de 2011 ainda não postados. Novo Ano em poucos dias. Feliz Ano Novo a todos!

"E deixe estar, o teu abraço no meu, sorrir e ficar"

Aqui o nosso amor

- Jacqueline Collodo Gomes

Teus ternos olhos me desenham
os nossos ternos planos em desenho
os nossos ternos sonhos
unidos por algo mais forte que nós

Teus ternos olhos sorrindo
fazem mais que carinhos
fazem desatar em mim os nós
dos caminhos perdidos

À vista das folhas e de pouca
quase inexistente presença
me olhas, estamos, aqui o nosso amor
não abrimos mão disso, é o nosso favor

Por que eu te amo desde que no céu habitam estrelas
na poesia música audível pelo coração
No compassar os teus traços delineados
Por que alguém um dia compôs para nós uma canção

Por que você escolheu o teu lugar para ficar
Por que você habitou em mim, bem-estar
Os teus lábios me são os únicos conhecidos!
Aqui o nosso amor, nossos sentidos!

17/12/2011, 04:03.


"Do meu baú de emoções, as poesias fundidas, o enlace ao meu querido"

Tempo Ovacionado

- Jacqueline Collodo Gomes

Sob a testemunha de uma nova vida
somos personagens do que sempre aguardamos
Eu, contigo, abraçados
Luzes amenas, sons embargados e planos

Conhecer a tua linha é o carimbo
do documento que o nosso amor valida
Pudera soarem os sinos
Conhecem bem nossa difícil lida

Falamos de tudo um pouco
de tudo que representamos um para o outro
Rimos, somos o que somos
E não queremos que este momento termine jamais

Sabe bem, esta que te pousa ao peito
e escuta as batidas chamando-lhe o nome
Sente o teu profundo, rarefeito
e de ouvir sua voz e gravá-lo, tem paz.

04:14 - 17/12/2011.

Images from sxc.hu.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Sobre o lúdico usar da poesia, e o pesar do coração...

image from: sxc.hu


Deluded people
Lúdico usar da poesia
para coisa suja e quebrada

Não compactue-se
com desalinhos
chamada arte, mascarada

Porque, meu filho,
é um jogo sujo, vício, e tarda ao nada
deluded people...


24/12/2011, 02:26.


[...]
Meu coração incomodado de tanta artificialidade chamada de profundo
procura uma beira à escalar, mover o tudo
deixar o nada que construíram e derrubaram
que o vento levou para o lado que ninguém vai.

Máscaras, máscaras!
O teu reflexo nunca vai cobrir-se com elas.

24/12/2011, 02:29.
.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Pelo Fim de Ano, meus desejos de Paz e Alegria

Há apenas algumas semanas do ano novo, já no aproximar do Natal, posto aqui meus desejos de Paz, Alegria e de um Fim de Ano e início de novo ano maravilhoso, a todos! Obrigada por acompanharem este meu cantinho poético. Abraços!



 Vai acontecer o Natal!

Jacqueline Collodo Gomes

- Você sabia que o Natal já é semana que vem? - perguntou ao sobrinho de sete anos enquanto lhe preparava um sanduíche.
- Falta dez! - ele logo respondeu.
- Dez? - Indagou a tia, curiosa.
- Dez dias. Meu pai falou. - emendou o menino. - Conte para ver quantos dias faltam.
Após pensar alguns segundos, ela respondeu: - Acho que são nove dias.
- Não, são dez! Meu pai falou que são dez!
- Ah, é mesmo... Esse ano é de Sábado para Domingo... São dez dias então, falou a tia, colocando o ponto na questão.
- Não vejo a hora de chegar semana que vem para ser o Natal! sonhou o menino, abocanhando o seu lanche.
Se o menino soubesse que o Natal não precisa de data e nem de hora marcada para acontecer! Tudo o que ele precisa é de um coração de menino sonhador assim, que o queira receber!
O Natal nasce dentro de nós, num tempo individual, e dependendo da "casa" que o hospeda, nem se vai e nem se finda, segue o ano todo por ali, gerando naquele ser a fraternidade, a alegria e as cores, características desta época tão especial, todos os dias também após o Natal!
E por aí, já está acontecendo o seu Natal?

16/12/2011.

---

Poesia para o Desafio da Casa da Poesia número 05 (a imagem foi substituída)



Recebam o Senhor Natal

Jacqueline Collodo Gomes

Preparem-se para receber o senhor magistral
da alegria, da fantasia, da festa única, sem igual!
Vem de repente, comove a gente, nos surpreende
Guardem-lhe seus caprichos, decorações, e muitos mimos

O que vocês tem de mais bonito?
Tirem do armário toda peça de decoração
bolas coloridas, ornamentos, e tirem também do coração
o sentimento para entalhar o carinho sentido

Neste momento resgatem em si o menino
que amava esta época mágica de fim de ano!
Não percam tempo, ele está chegando
de seu globo de vidro, com neve e cantoria ele vem vindo

Abram o sorriso e abram as portas para ele entrar
onde ele chegar a tristeza não vai ficar.
Ele nos ensinará o seu canto, digamos: - Sê bem-vindo!
O recebemos com palmas e sonhos lindos!

Marcaste nossa infância com sua presença especial
Fica sempre conosco a cada festa, Senhor Natal!

16/12/2011, 15:24. 

Images from sxc.hu

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Estas coisas que de repente eu alcanço em mim...

Três considerações para o poema a seguir:

"Ouço um clamor insistente do meu abraço pelo teu"


"Mágicos, mágicos! Não é tão simples resolver os dilemas atuais"


"Meus poemas viajam de mim para portar à você"



Image from: sxc.hu

Espaço-tempo

- Jacqueline Collodo Gomes

Estas coisas que de repente eu alcanço em mim
no passado e no futuro da minha história escrita
fazem desconhecer a admiração dos campos em flor
das árvores pelo caminho frequentemente percorrido...
Fico apenas no silêncio e quietude das noites à dentro.

Na tentativa da usualidade, todos nós
percorremos este esconderijo Universo ocultado
de forma particular, identificação aos sonhadores
que às vezes fazem mesmo desconhecer esta admiração
dos campos em flor e das árvores pelo caminho percorrido

Mas sempre há as frestras em quais nos deparamos
e sabemos que ali estamos, que somos o que elas representam
e nos colocam num lugar que nos pertence
aos poucos aquietando a alma sedenta de encontro
consigo e com sua razão. Mais além...

Do espaço que possa significar para um outro também.

02:59, 15/12/2011.